Quando se pensa em visitar as Galápagos pensa-se logo em cruzeiros! Mas quando se vê o preço dos cruzeiros fica-se logo desanimado…

Se é este o teu caso, não te preocupes! Os cruzeiros não são tudo! Aliás há muita coisa que se fores em cruzeiro não terás a possibilidade de experimentar como escrevi no meu post “10 coisas que perdes em Galápagos se fazes um cruzeiro”.

A primeira coisa que te vai impressionar em Galápagos é a quantidade de sitios para visitar! Em 6 dias conseguimos visitar apenas a Ilha de Santa Cruz e Isabela, por isso o meu primeiro conselho é: se puderes, vai mais dias!

 

Dia 1: (Ilha Santa Cruz)

Aterrámos no aeroporto de Baltra (aeroporto mais próximo da ilha principal – Santa Cruz)  às 9h00 e fomos até ao Puerto de Ayora (a cidade principal de Galápagos).

Ainda no aeroporto paga-se a taxa de entrada de ao parque que são 100 USD por pessoa. Saindo do aeroporto podes subir a qualquer autocarro (ônibus) que te levará até ao Ferryboat (0,80 USD) que te leva de Baltra até Santa Cruz e uma vez na ilha podes tomar outro autocarro (2 USD) que te levará directo ao centro de Puerto Ayora (cerca de 40km), outra opção é ir em taxi (18 USD).

Fizémos check in e deixámos as nossas mochilas na Hospedagem Casa de Judy, paseámos um pouco por Puerto Ayora e visitámos a Estação Científica de Charles Darwin e vimos as primeiras tartarugas terrestres e iguanas.

Há tarde apanhámos um taxi (30 USD) que nos levou até à praia Garrapatero – uma extensa praia de areia branca e águas cristalinas.

Podes contar com ver caranguejos timidos saindo dos seus buracos na areia e com sorte encontrarás elegantes flamingos e patos que habitam a lagoa junto à praia.

Em Puerto Ayora não faltam agencias de turismo, tens tours de meio dia (30-60 USD e não incluem almoço) e de um dia inteiro (100-130 USD e incluem almoço).

Nós contratámos para o dia seguinte um tour de dia inteiro (recomenda-se contratar sempre no dia anterior).

Dia 2: (Ilha Santa Cruz)

No segundo dia tomámos um tour de um dia inteiro (130 USD + 7 USD pelo equipamento de snorkeling) e fomos fazer snorkeling em vários ilhotes a caminho da Ilha Pizón.

O melhor das Galápagos é que não preciso muito esforço para nadar com animais incríveis.

Vimos tartarugas, nadámos com leões marinhos que nos rondavam e brincavam nadando ao nosso lado, saltando, e até tubarões!!!

Se não tiveres uma goPro ou uma camera a prova de água podes alugar uma nas agencias também! Vale muito a pena!

Terminámos o tour na praia Borrego, uma preciosa praia na ilha Santa Cruz só acessivel de barco.

Chegando a Puerto Ayora comprámos o bilhete da lancha rápida para ir para Isabela no dia seguinte – recomenda-se também comprar sempre no dia anterior, especialmente em temporada alta.

snapseed-04

Algum dos dias que fiques em Santa Cruz tens de ir jantar aos famosos “Quioscos” (15 USD), pergunta pela rua dos quioscos que todo o mundo sabe indicar.

É uma rua em Puerto Ayora com restaurantes tradicionais de um lado e do outro da rua, que fecham à noite e montam as mesas no meio.

O melhor quiosco é sem dúvida o do “Negro William”, o serviço é rápido e a comida riquissima. Não podes perder o “encocado de camarão” com patacones (banana verde frita)! Humm de chupar-se os dedos!!

 

Dia 3: (Ilha Isabela)

Para chegar a Isabela as lanchas rápidas que saem às 7h00 ou às 14h00. Às 7h00 tomámos a lancha rápida (30 USD ida) que nos levou até Isabela (2 horas). Chegando a Isabela paga-se uma taxa de entrada ao parque de 5 USD para estrangeiros e 3 USD para residentes.

Isabela é um verdadeiro jardim zoológico ao ar livre! Chegando a Puerto Villamil é fácil imaginar como sería Puerto Ayora antes da exploração turistica.

Em Puerto Villamil as ruas ainda não são pavimentadas, as agencias turististicas desenvolveram-nos nos últimos anos e o porto recebe-te com leões marinhos, pinguins e iguanas atravessadas no caminho.

A única tour de Isabela que sai à tarde é o tour as Tintoreras (40 USD), também conhecido por tour de Bahía (todos os outros tours só saem de manhã, por isso recomendo fazer esta no dia de chegada).

O ilhote das Tintoreras fica a uns 15 minutos de barco do porto e inclui uma volta em barco em que encontrarás pinguins e poderás observar o famoso “pizón de pata azul” e iguanas.

Caminhar pelo islote e descobrir a história que as diferentes formações de lava ainda contam sobre a formação destas ilhas, terás de estar atento para não pisar nenhuma iguana e verás as “tintoreras” ou tubarão de ponta branca que dão o nome à ilha.

Termina com 30 minutos de snorkeling onde poderás encontrar tartarugas marinhas, leões marinhos e peixes de várias cores.

snapseed-12

 

Na mesma agencia (Pahoehoe) contratamos o que foi para mim o melhor tour das Galápagos para o dia seguinte.

 

Dia 4: (Ilha Isabela)

Às 7h00 já estavámos no barco para dirigir-nos aos “Túneles”.

Os túneis são formações de lava que ao chegar ao mar e com o tempo formaram tunéis, pontes e ilhotes de lava que fazem com que as águas não se movimentem tanto e tenhas uma visibilidade incrivel para fazer snorkeling e uma riqueza de flora e fauna impressionantes.

É impossivel não nadar com tartarugas marinhas e não ver os tubarões tintoreras a dormir nas suas grutas. Nadámos por cima de um impressionante cardume de raias doradas que sincronizadamente se afastavam e até cavalos marinhos.

Se tiveres de decidir entre o tour das Tintoreras e o tour dos Tuneles, escolhe o segundo!

É um pouco mais caro (90 USD vs 40USD), mas as paisagens e a variedade de animais que vais ver são incriveis.

snapseed-06-01

snapseed-09

Às 14h00 já estávamos de volta ao porto – se quiseres apanhar a lancha de volta para Santa Cruz ainda chegas a tempo, mas convém avisar quando contrates o tour para que estejam atentos para não atrasar-se.

Durante a tarde recomendo alugar umas bicicletas (3USD/hora) e conhecer o Centro de Crianza, o lago de flamingos (subindo depois do Hotel Iguana Crossing) e fazer a trilha dos Pantanos (Humedales) até ao Muro das Lágrimas – testemunho do triste passado deste paraíso que funcionou como prisão para criminais e políticos.

snapseed-13

São 8km de paragens obrigatórias a cada 200 metros (praias, tuneis de lava, poças, miradoros)! É uma trilha facil, apenas sobe um pouco mais nos últimos 2 km, mas que vale demasiado a pena!

Algumas recomendações obrigatórias: ir pelo meio da trilha, porque há umas plantas com espinhos que podem furar as rodas das bicicletas; e descer a travar (sem ganhar velocidade) porque o piso não é bem pavimentado e podes perder o equilibrio. Este é o único percurso que se pode fazer sem guia na ilha e faz-se tranquilamente em 3 horas no total.

 

Dia 5: (Santa Cruz)

Voltámos para Santa Cruz na lancha da manhã (6h00) e deixámos por visitar o Volcão Sierra Negra – dizem que vale muito a pena, mas como estava nublado nesse dia decidimos voltar para Santa Cruz.

Chegando ao Puerto Ayora alugamos o equipamento de snorkeling (5USD/máscara e barbatanas) e apanhámos um taxi (1USD) até ao inicio da trilha da Praia de Tortuga Bay.

O trilho é facil e toma cerca de 40 minutos até chegar a uma extensa praia agitada onde não se deve nadar devido as correntes.

Mas seguindo pela direita ao final dessa praia está a incrivel Tortuga Bay. Uma baia rodeada de manglares, águas calmas e quentes e areia branca onde podes fazer snorkeling, nadar, kayak e descansar.

Às 12h00 em ponto há um barco-taxi (5USD) que parte daí até ao Puerto Ayora, à tarde há outro às 15h00. Se não, podes sempre regressar pelo trilho a pé.

snapseed-07

À tarde fomos às incriveis Grietas!

Para chegar tomas um barco-taxi no porto de Puerto Ayora (0,80 USD) que te leva ao inicio da trilha (fica mesmo ao lado do porto!) e caminas por uns 15-20 minutos.

As Grietas são de origem vulcânica também e formam duas paredes rochosas com cerca de 12 metros altura e com a mesma profundidad debaixo de água.

A água é salobre que se mistura com água do mar só por filtração pelas rochas (não, não há tubarões aí escondidos!).

Se te der medo a profundidade, não te preocupes que o guarda do parque tem coletes salvavidas para que te possas meter nestas incriveis águas onde poderás encontrar peixes com até 1 metro de comprimento que se desenvolveram aí.

 

Dia 6: (Santa Cruz)

Último dia em Galápagos!! Passou a correr…!
O nosso voo era às 12h00, por isso ainda aproveitámos a manhã para fazer as últimas visitas a caminho do aeroporto.

Pedimos um taxi (40 USD) para que nos levásse a conhecer o rancho “El Chato”, os tuneis de lava e os “Gemelos”. O percurso pode fazer-se em 2-3 horas e podes pedir ao taxista que te leve até ao ferryboat que te leva a Baltra novamente.

No rancho el Chato (3USD) emprestam-te umas botas e podes percorrer o enorme parque de cercas altas (para que as tartarugas possam sair livremente e nidificar nas praias – atenção que se estiverem nas praias não vais encontrar muitas no rancho).

snapseed-11
Os tuneis são formações de lava incriveis que contam a história da formação geológica das ilhas. Há vários tunéis habilitados para visita.

Visitámos os tunéis do Hotel Royal Palm, são sem dúvida as melhores conservadas, têm mais de 600 metros de comprimento e no hotel facilitam-te um capacete e lanterna para o percurso.

Por último visitámos os “Gemelos” (gêmeos) são dois majestosos aluimentos formados por uma série de erupções vulcânicas.

Vais encontrá-los caminhando por uma bonita trilha pelo meio do bosque de escalesia – planta endémica das Galápagos.

snapseed-08

Estivemos em total 6 dias e 5 noites em Galápagos e se fosse hoje, recomendaría ficar pelo menos mais um dia para evitar visitas no último día.

Ficaram por visitar muitas ilhas, muitas delas acessiveis só através de cruzeiros. Mas sem conhecer o interior destas ilhas a experiencia nas Galápagos não estaría completa.

Written by racingmackerel
Portuguesa, Expat, viajeira apaixonada. Extrovertida, Sensorial, Emocional e Percetiva. Financeira de profissão. Psicóloga por curiosidade. Emigrante e viajante por paixão. Idioma: portuñol.