Apanhar um taxi em Santiago é bastante seguro e fácil. Quase nunca chamei um taxista e apanhá-los na rua é seguro e rara vez me enganaram.

Mesmo assim, e dado que alguns truques que usam são conhecidos e se repetem vou explicar cada um e como actuar para evita-los:

 

Truque n.º 1: A nota de 10 lucas (mil pesos) que se transformam em 1 luca

Este truque os taxistas ocupam principalmente há noite, quando notam que possivelmente já bebeste uns copos a mais, está escuro ou estás pouco atento no momento de pagar e quando tentas pagar com uma nota de 10 lucas.

Alguns taxistas levam uma nota de mil pesos na mão enquanto conduzem, sem que se veja. Quando chegam ao destino e te dizem quanto é o custo do percurso, tu esticas a nota de 10 eles tomam-na, atiram-na para os seus pés e mostram-te a nota de 1 luca dizendo “Esta nota é de mil, não é suficiente!”. Naquele momento já estás estressado a pensar onde gastaste a nota de 10 que tinhas e que não tens mais… começas a contar as moedas envergonhado ou das outra nota que tenhas. Se não tiveres mesmo mais dinheiro, eles simpaticamente te vão levar até à banco mais perto para que retires mais dinheiro – sempre com o taxímetro a contar mais quilómetros.

Como evitar:no momento de pagar avisa conscientemente o taxista “só tenho uma nota de 10” – desta forma ele saberá que estás atento ao que estás a entregar para pagar o percurso.

Truque n.º 2: O Taxímetro acelerado

Este truque acontece bastante, especialmente quando se toma o taxi em locais mais turísticos, ou saidas de discotecas muito movimentadas. O dificil deste truque é que só pessoas que já conheçam bem o valor dos seus percursos vão conseguir dar-se conta. Enganar um turista com este truque é o mais fácil.

Como evitar: reclamar que te parece que o taxímetro está acelerado e está a marcar mais do que o que costuma marcar para aquele percurso. Naturalmente o taxista não vai reconhecer. Então o passo seguinte é dizer seguramente que não vais pagar esse valor, porque te parece injusto e que só pagarás se te leva a uma comissaria da Policia/Carabineros e os policias confirmam que o valor esta correcto. Quando te puseres firme na tua posição o mais provavel é os taxistas perceberem que já não vão conseguir enganar-te e parem o taxi para que saias imediatamente e nem te cobrem nada. Se não reconhecerem e te quiserem cobrar na mesma, exige o ticket do taximetro (que diz a matrícula, os quilómetros percorridos e o valor) – atenção que muitas vezes eles cortam o ticket de forma a que nao vejas a matrícula do veículo.

 

Truque n.º 3: A tarifa de feriado, de fim-de-semana ou noturna

Este truque também é usado como desculpa quando se identifica o truque n.º 2. E igualmente, os turistas são as vítimas mais prováveis, pois em Santiago não há qualquer sobre tarifa ou tarifa mais cara por ser feriado, fim-de-semana o por ser de noite. As tarifas são constantes.

Como evitar: dizer que se sabe que em Santiago as tarifas são constantes e não contemplam variações por esses motivos.

Isso sim, a única tarifa extra taxímetro que efectivamente se faz a cargo do cliente é o TAG (portagem automática que apita quando o carro passa nos pórtigos). O TAG corresponde correctamente agregar a tarifa que sai no taxímetro.

 

Truque n.º 4: Negociar o preço sem taxímetro.

Esta que é uma prática bastante comum noutros países da América Latina, no Chile não é comum. Se se estiver desconfiado pode perguntar ao taxista mais ou menos quanto sai até ao destino, pode ajudar a perceber se o taxímetro vai estar acelerado ou não. Há uma excepção à regra e em que se negoceia o valor do taxi (mas vai sair um absurdo de preço e é ilegal), que é quando a procura é muito superior à oferta, como quando sais do estádio depois de ver um jogo da bola. Aí pode acontecer que te vejas obrigado a oferecer algo mais para garantir que te levam.

Como evitar: pedir para usar o taximetro. Em caso de jogo da bola, concertos e outros eventos recomendo sair um pouco antes do final para facilitar a toma de um taxi.

 

Truque n.º 5: “Sou novo nisto e não sei o caminho”.

Este é provavelmente o mais comum! Especialmente quando tens um sotaque estrangeiro e provavelmente não sabes o caminho, eles aproveitam sempre para perguntar “É capaz de me indicar o caminho? Que eu sou novo nisto!”. Muitas vezes têm o telemovel com o WhatsApp a chegar mensagens, mas são incapazes de usar o Maps para ver onde fica.

A mim pessoalmente este truque é o que mais me chateia. Quando entro no taxi espero que o taxista saiba melhor que eu as ruas da cidade, principalmente as que cruzam com as principais. Mas muitas vezes dizem que não sabem.

Como evitar: levar o mapa impresso se não se tem internet no telemóvel, dizer qual é a intersecção da rua para onde vamos ou, em caso de teres internet, ir indicando a ruta que diga o Waze ao taxista.

Written by racingmackerel
Portuguesa, Expat, viajeira apaixonada. Extrovertida, Sensorial, Emocional e Percetiva. Financeira de profissão. Psicóloga por curiosidade. Emigrante e viajante por paixão. Idioma: portuñol.